Fique por dentro do Esperma e suas vitaminas

Esperma: do grego – Sperma – semente; fluído orgânico; líquido fecundante ou prolífico dos animais.

O sêmen humano é um líquido cremoso, espumoso, gosmento, esbranquiçado e opalino, composto por uma mistura de secreções testiculares, vesículas seminais, próstata e glândula de Cowper. O líquido espesso, depois de 10 a 30 minutos fora do organismo humano torna-se extremamente fluído. Outra mudança comum é relacionada aos períodos de abstinência sexual, que deixam o esperma amarelado.

Em volume, a ejaculação de um homem sadio varia de 3,5 a 5 ml. Volumes em torno de 0,5 ml são, em sua maioria, patológicos. Seu pH encontra-se na faixa de 8,1 a 8,4. São considerados normais 200 a 600 milhões de espermatozóides por ejaculação, sendo que em um único ml de esperma contém de 60 a 120 milhões de espermatozóides.

Composição do sêmen humano

Os componentes do sêmen derivam de duas fontes: esperma e plasma seminal. O plasma seminal, por sua vez, é produzido pela contribuição da vesícula seminal, próstata e glândulas bulbouretrais e contém um complexo de componentes orgânicos e inorgânicos.
O plasma seminal fornece um meio nutritivo e protegido para os espermatozóides durante as suas jornadas até o trato reprodutivo feminino. O ambiente normal da vagina é hostil para as células do esperma, já que ele é muito ácido (devido à produção de ácido lático da microbiota vaginal), viscoso, e controlado por células imunes. Os componentes do plasma seminal tentam compensar este ambiente hostil. Aminas básicas como a putrescina, espermina, espermidina e cadaverina são responsáveis pelo cheiro e sabor do sêmen. Essas bases alcalinas neutralizam o ambiente ácido do canal vaginal (que é muito nocivo ao esperma), e protegem o ADN dentro do esperma da desnaturação ácida.

Deixe seu comentário

Adicione o seu comentário abaixo trackback apartir do seu próprio site. Você também pode subescrever a este comentário via RSS.

Campos obrigatórios*